top of page
Buscar
  • Foto do escritorFernando Kimura

Dia do Trabalhador na Arte Brasileira: Reflexões e Representações

À luz do Dia do Trabalhador, mergulhamos em uma reflexão artística e social, começando com a obra "Chance" de Regina Parra, que, com sua mensagem em neon, ilumina as possibilidades e desafios do trabalhador contemporâneo.

Avançamos no tempo e na tela com "Plantação de abacaxi" de Maria Auxiliadora da Silva, 1973, que retrata a conexão do trabalhador rural com a terra, uma cena que ressoa com a essência do trabalho manual e a simplicidade da vida no campo.


Em "O Lavrador de Café" de 1934, Candido Portinari captura a figura de um trabalhador rural em meio à lavoura cafeeira, uma imagem que se tornou um ícone da arte brasileira e um símbolo do trabalhador do campo.


Esta obra foi reimaginada pelo artista Mundano em 2021, em um mural em São Paulo, utilizando tinta feita de cinzas de florestas queimadas brasileiras.


A releitura não apenas homenageia a obra original, mas também serve como uma crítica pungente ao desmatamento e às queimadas, transformando o cenário de lavoura cafeeira em um local devastado pelo fogo, refletindo as cicatrizes ambientais e sociais deixadas pelas chamas.

Com "Profecias" de Randolpho Lamonier, somos confrontados com a realidade de uma sociedade desigual, onde as maiorias estabelecem padrões que muitas vezes não refletem a identidade e as aspirações das minorias.


A obra nos desafia a reconhecer como, historicamente, mesmo aqueles que ascendem das minorias podem perpetuar esses padrões elitistas, criando um ciclo repetitivo de desigualdades e dominação de classes.


Ela nos convida a refletir sobre como indivíduos que alcançam destaque acabam por se encaixar em moldes pré-estabelecidos pela indústria e pela sociedade, perpetuando um elitismo que exclui e marginaliza.





Finalmente, o cartaz "Trabajar Menos" nos convida a ponderar sobre a qualidade de vida e o equilíbrio entre trabalho e descanso.

No Brasil, a jornada de trabalho no comércio pode chegar a 44 horas semanais, enquanto em países com as melhores condições para trabalhadores do comércio, como os países nórdicos, a carga horária é frequentemente menor e mais flexível, proporcionando um melhor equilíbrio entre vida pessoal e profissional.


“Antes de adotarmos um discurso pronto, é importante lembrar que as histórias de superação, embora inspiradoras, nem sempre refletem a realidade atual de quem as conta. Os empreendedores de sucesso que hoje compartilham suas jornadas muitas vezes estão distantes das dificuldades que enfrentaram no passado. Vamos buscar inspiração, mas sem esquecer de olhar criticamente para as realidades que nos cercam e para as histórias que ouvimos.”


Ao contemplarmos as obras que retratam o Dia do Trabalho, você pode se perguntar: por que escolher imagens que parecem tão distantes das 'good vibes' que estamos acostumados? A resposta é simples: vivemos em um mundo saturado de mensagens positivas que, muitas vezes, servem para nos distrair da realidade complexa e multifacetada do trabalho. Quando buscamos conteúdo sobre sucesso, empreendedorismo e negócios, somos inundados por imagens de perfeição. Essas representações existem, mas são apenas uma parte da história. O desafio está em reconhecer as diversas realidades do trabalho, especialmente aquelas que não são frequentemente iluminadas pelos holofotes da sociedade e dos negócios. É hora de abrir os olhos para a maneira como as classes dominantes influenciam as minorias, muitas vezes perpetuando formas de opressão laboral. A crença na meritocracia pode ser um reflexo de quão pouco avançamos desde os primórdios de nossa história. A falta de acesso a espaços culturais, como museus, pode contribuir para uma visão limitada do mundo. Neste Dia do Trabalhador, convidamos a uma reflexão mais profunda, que vá além das frases feitas e olhe para a realidade dos trabalhadores brasileiros. Que possamos reconhecer a necessidade de mudança e trabalhar juntos por uma sociedade que valorize todas as formas de trabalho e promova a igualdade de oportunidades para todos.

9 visualizações0 comentário

Commentaires


bottom of page